Olá

Bem-vindo a este blog, fico muito feliz com a sua visita. Receber amigos é algo que nos estimula e realiza.


terça-feira, 12 de março de 2013

Reflexões Matinais I

 Bom dia, queridos leitores
Aqui, um dia chuvoso e frio.
Em minhas reflexões matinais pensei em nossa elasticidade para suportar os problemas.
As vezes, as dores, decepções e/ou frustrações nos esticam até um limite que parece insuportável.
Parece que vamos arrebentar por dentro...
Uma das funções do elástico é adaptação, porém quando colocado em uma situação de extrema tensão ele pode arrebentar, afrouxar, arremessar e até nos ferir por uma de suas pontas.
Nós também temos a adaptação como uma de nossas qualidades.  Diante das diversas situações sempre procuramos o melhor caminho, a melhor estratégia, mas submetidos a constantes pressões e angústias, algumas vezes tomamos o caminho inverso da solução, ou seja, ao invés de nos colocarmos em posição de tranquilidade para melhor enxergar o todo, nos focamos em um ponto e nos esticamos ao máximo para alcançá-lo.
Já repararam como nessas ocasiões ficamos exaustos, com dores pelo corpo e como a nossa vontade transita pelos campos da explosão, da inércia (uma vontade louca de deixar pra lá), de jogar tudo pro alto e  o da autopiedade, quando nos ferimos dia após dia, pensando no quanto somos injustiçados e sofredores?
Ainda em comparação com o elástico, podemos observar que uma vez destroçado não se pode consertar. A linha pode ser reutilizada, o cordão emendado... mas o elástico, não tem jeito: arrebentou precisa ser trocado.
Conosco acontece o mesmo. Quando a nossa elasticidade está comprometida o risco de depreções, estresse, fobias e até suicidios aumenta consideravelmente.
Porque perdemos a capacidade de nos mover dentro dos acontecimentos diários o nosso elástico interno explode em enfartos, AVC... Afrouxa em depressões... arremessa partículas de medos para todos os lados transformando nossa existência em uma grande onda de fobias.Em todos os casos a tensão se volta contra quem o estica, mas o suicídio ainda é seu ato mais doloroso, aquele que atinge o alvo. Não podemos esquecer que, quando nos permitimos sofrer em demasia o nosso único alvo segue sendo nós mesmos.

Pensemos no assunto:
Temos como opção continuar esticando nossos sentimentos dentro desse circuito ou escapar e traçar novos caminhos. O elástico só vale a pena ser esticado quando para nos impulsionar para novas conquistas. Nesse caso ele mantém sua flexibilidade, qualidade imprescindível para nossa saúde física, mental e espiritual.
Beijos

Obrigada por sua visita. Deixe seu comentário, ele é sempre muito importante e contribui para ampliar nosso campo de compreensão.

2 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Amiga Isabel é com prazer que venho fazer parte de seu blog. Estive a ler o seu texto e é o que realmente se passa com uma grande maioria das pessoas. É necessário haver uma verdadeira paz para que a pessoa consiga ultrapassar o sress do dia a dia. Decerto que a bondade de Deus nos traz tranquilidade e a paz que necessitamos, para nossa caminhada. Gostei do seu texto.
Abraço.
António.

Isabel Ruiz, disse...

Obrigada pela presença tão carinhosa, Antonio. Abs.